O MEU TESTEMUNHO PROLON – Dia #1

Sou médica de Medicina Anti-aging e Medicina Funcional e se acompanho pacientes que desejam aumentar a sua longevidade com qualidade de vida eu procuro o mesmo. Tenho 34 anos e desde a adolescência sempre procurei ter um estilo de vida saudável e por isso hoje faço questão de SER o que recomendo aos meus pacientes.



PORQUE DECIDI FAZER O PROLON?

O Prolon é um protocolo nutricional cientificamente estudado e documentado por isso senti segurança em querer testar. E todos os benefícios que são demonstrados vão de encontro ao que procuro para a minha vida:

- atrasar o processo de envelhecimento

- aumentar os níveis de energia, foco e concentração

- promover a autofagia (eliminação e rejuvenescimento celular) e portanto reduz o número de células doentes ou pré-cancerígenas

- reduzir o risco de doenças neurodegenerativas e oncológicas (quero bloquear a expressão genética que herdei da minha família: Diabetes, neoplasia do cólon, doença de Alzheimer – obrigada avós gosto muito de vocês mas espero não ter herdado estes genes vossos...)

- queria melhorar a minha composição corporal. Com os meus 34 anos sinto-me bem a nível de peso e tonificação muscular mas há gordurinhas que começam a localizar-se e aproveitei para queimar gordura que esteja a mais (e que também me aumenta o risco cardiovascular).

- optei por este programa pois é glúten free e baseia-se no princípio do jejum intermitente, uma das recomendações que considero mais importante se queremos realmente ser saudáveis.

- Gosto de desafios! E este é um desafio que vai ser interessante.

O Prolon é um programa desenvolvido pelo investigador Valter Longo, Diretor do Longevity Institute na University of Southern California e o inventor da tecnologia de nutrição Fasting Mimicking Diet (FMD).